Pesquisar este blog

ABOUT.ME

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Happy Baroo Year!

Happy Baroo Year!:



puppytoo
This little guy/girl has perfected The Art Of The Baroo! Thanks to Sara D. for sending, who notes “I found this at Rachel Reilly’s Twitter; if you use it, she should get credit. Love your site and check it several times a day. Keep up the good work!”

domingo, 28 de dezembro de 2014

Sunday, December 28th | music clip of the day

Sunday, December 28th | music clip of the day

Time Lapse Videos Capture The True Beauty Of Space At 17,150 MPH

Time Lapse Videos Capture The True Beauty Of Space At 17,150 MPH:



Time Lapse Videos Capture The True Beauty Of Space At 17,150 MPH


Watching the world go by from the window of a plane at Mach 0.8 is hard to beat, but when it comes to an expanded world view, nobody gets a better picture than the residents of the International Space Station. Check out this time-lapse compilation by Germany's Alexander Gerst.

Read more...



sábado, 27 de dezembro de 2014

Diário do Centro do Mundo » As aventuras de Carlos Sampaio, o homem por trás das palhaçadas jurídicas do PSDB

Diário do Centro do Mundo » As aventuras de Carlos Sampaio, o homem por trás das palhaçadas jurídicas do PSDB

Ajudem Dilma a ajudar o Brasil

Ajudem Dilma a ajudar o Brasil:

dilma-tortura





Há uma diferença fundamental entre os interesses do povo e os dos operadores políticos, tais como os partidos ou os controladores dos grandes meios de comunicação. Essa confusão que a sociedade faz a leva, muitas vezes, a confundir seus interesses com os interesses dos que não são tão afetados – ou que não são afetados tão facilmente – pelas condições gerais do país.

De meados de 2013 para cá, a disputa política alcançou um nível de radicalização que está literalmente afundando o país – e, o que é pior, com a complacência e até com o estímulo da sociedade civil, ou de grande parte dela.

Fosse o Brasil um país menos rico e pujante, diante da quantidade de sabotagens que tem sofrido por parte de grupos políticos, a esta hora certamente estaríamos amargando uma depressão econômica de proporções cataclísmicas. Boa parte dessa resistência da economia à sabotagem política, porém, deve-se à capacidade da presidente Dilma Rousseff de manobrar em meio ao caos.

Comparo o Brasil de hoje com alguém que sofre de uma grave moléstia. Talvez uma tuberculose, que tem cura mas pode matar se o paciente não for preservado de condições adversas e não receber o tratamento adequado.

Este texto irá mostrar que o paciente, em vez de ser mantido em condições adequadas, está sendo submetido a um verdadeiro corredor polonês.

A partir de setembro de 2008, o mundo ingressou em uma gravíssima crise econômica internacional, considerada por quase todos os mais eminentes analistas e estudiosos econômicos como a maior desde a Grande Depressão de 1929. Essa foi a primeira etapa de uma crise que, seis anos depois, ainda se faz sentir pelo mundo.

Em um primeiro momento daquele 2008, o país sentiu os efeitos do verdadeiro pânico mundial que se instalou a partir da quebra do banco dos irmãos Lehman, nos EUA. Poderia ter sentido menos, no entanto, se, internamente, não tivesse sofrido uma sabotagem.

Estávamos à porta de um ano pré-eleitoral (2009). Focando a sucessão de Lula em 2010, a mídia tratou de inflar a crise por aqui, com vistas a fazer a economia piorar para que o país chegasse até lá em recessão, facilitando a vitória de José Serra, então visto como o grande nome da direita para reverter o processo de distribuição de renda em curso no país desde 2003.

Assim como hoje, a tática adotada pela mídia conservadora no primeiro momento da crise foi espalhar o pânico, de modo a fazer com que os empresários não apenas paralisassem investimentos como, também, passassem a demitir, o que, por certo, colocaria o povo contra Lula. Assim, entre outubro de 2008 e fevereiro de 2009, houve uma grande onda de demissões no país. Mais de OITOCENTOS MIL empregos foram exterminados naquele período sob um fenômeno que já entrou para os anais da história: as “demissões preventivas”.

Este blogueiro, que também atua no setor de comércio exterior como trader (vendedor internacional) autônomo, presenciou in loco esse fenômeno das “demissões preventivas”. Uma das indústrias que representava demitiu 20% dos seus 200 empregados como meio de se “prevenir” contra a crise que estava chegando.

Ao saber daquilo, conversei com o proprietário da empresa – ainda que, como autônomo, a medida draconiana da empresa não me afetasse diretamente. Perguntei a ele se havia razão concreta para uma medida tão draconiana. Descobri, então, o que significava a expressão “demissão preventiva”.

Estupefato, fiquei sabendo que a empresa continuava faturando praticamente a mesma coisa e que quase um quarto dos funcionários fora demitido a um mês do Natal por temor do que a mídia anunciava. Quarenta pais de família foram demitidos porque o dono da empresa leu no jornal que havia que “se adequar aos novos tempos que viriam”.

Cerca de cinco meses depois, lá por abril de 2009, a empresa começou a tentar trazer de volta os demitidos, ainda que muitos já tivessem conseguido novo emprego. Ao fim, o custo daquele empresário com as demissões foi maior do que o custo com os salários que teria pago se não tivesse demitido.

A partir daquele final de 2008, Lula fez o que restava ao governo fazer para impedir um cataclismo social: usou os investimentos públicos para reaquecer a economia. O BNDES e os demais bancos públicos aumentaram exponencialmente os empréstimos, elevando a taxa de concessão de crédito e impedindo a economia de afundar. E programas imensos de obras públicas, como o PAC, foram implantados.

Eis que o Brasil chega a 2010 com um nível de crescimento chinês (quase 8%). Lula faz a sucessora até com certa facilidade e José Serra sai da campanha eleitoral desmoralizado, pois estivera entre os arautos do desastre anunciado, prevendo que o Brasil iria ao inferno por conta de uma crise que ainda demoraria alguns anos para se fazer sentir de verdade no país.

A crise mundial de 2008 teve como motor, basicamente, a retração dos investimentos e do comércio internacional dos países ricos, ou seja, dos Estados Unidos e da Europa. Porém, como o comércio exterior representa cerca de um décimo do Produto Interno Bruto brasileiro, a forte redução do comércio internacional pouco nos afetou, pois a redução da atividade econômica internacional foi compensada pelo nosso gigantesco mercado interno.

Ironicamente, este blogueiro, apesar de apoiar os governos do PT desde a primeira hora (2003), foi muito mais afetado pela crise internacional do que a quase totalidade dos brasileiros, pois se dedicava – como continua se dedicando – ao comércio exterior.

Eis que chega o primeiro ano do primeiro governo Dilma. A presidente chega ao poder com um país economicamente arrumado, com a economia em ritmo forte. Porém, Dilma sofria de um erro de avaliação. Estava convencida de que a guerra com a mídia que permeou a maior parte dos dois governos Lula, poderia acabar com alguns gestos de boa vontade.

Triste engano do qual ela só se daria conta plenamente a partir do junho negro de 2013.

Voltando à história, em 2011 o ministério recém-montado por Dilma foi sendo desmontado pela mídia. A partir da queda do então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, por conta de ter comprado um imóvel caro – ainda que não houvesse qualquer irregularidade –, assim como este Blog vaticinou à época que ocorreria se a presidente cedesse aos pedidos da cabeça dele, os demais ministros foram caindo um a um.

A progressiva destruição do ministério só foi interrompida quando chegou ao então ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel, amigo íntimo de Dilma.

Uma dessas demissões de ministros em 2011, porém, entrou para a história como uma das maiores injustiças que se viu na política brasileira. O comunista Orlando Silva, ministro do Esporte, foi demitido pelas acusações de um bandido. Porém, nada nunca se comprovou contra ele. Mas ficou por isso mesmo.

O pior é que, assim como hoje, o estopim da primeira crise do governo Dilma (2011) foi aceso pelos mesmos setores da esquerda – inclusive do PT – que agora tratam de torpedear o ministério recém-anunciado por Dilma.

Esses setores não gostavam do perfil do petista Palocci. Atribuíam a ele políticas “neoliberais” do governo Lula que nunca foram de Palocci, mas do próprio Lula, conforme ele me relatou em encontro que tivemos em junho deste ano, quando também revelou que o imóvel que derrubou Palocci não passava de um apartamento de classe média alta num bairro nobre, apesar de ter sido pintado como “uma mansão”.

Enfim, apesar de Dilma ter interrompido o boliche midiático de ministros de 2011, a mídia se conformou temporariamente e 2012 foi um ano tranquilo, politicamente, ao menos até agosto, quando teria início o julgamento do mensalão.

O interlúdio do bombardeio político-midiático ocorreu apenas porque os que bombardeavam contavam com os efeitos políticos do julgamento do mensalão. No entanto, esses efeitos só começariam a se fazer sentir alguns meses depois do fim daquele processo no STF.

Em junho de 2013, eclodem as famigeradas “jornadas de junho”, um processo que congregou a ultraesquerda e a ultradireita, que marcharam lado a lado brandindo as condenações do julgamento do mensalão, tachando o PT de “partido da corrupção”, chegando ao cúmulo de expulsarem petistas de manifestações aos socos e pontapés.

Em míseros 30 dias, a popularidade de Dilma caiu quase pela metade. Na primeira semana de junho de 2013, a gestão dela era considerada boa ou ótima por 57% dos brasileiros. Três semanas depois, apenas 30% aprovavam seu governo. Nunca se viu fenômeno igual na história recente.

Devido à convulsão social que tomou conta do país a partir de um movimento desencadeado pela ultraesquerda sob uma desculpa esfarrapada – um aumento de míseros 20 centavos no preço das passagens de ônibus em São Paulo –, alguns governantes de direita sentiram um pouco desse efeito político negativo, mas logo se recuperaram porque aquele movimento visava, basicamente, desmoralizar o governo Dilma e o PT.

Alckmin, que ajudou a inflar aquela crise pondo a sua polícia para espancar manifestantes, reelegeu-se neste ano, em primeiro turno, com votação recorde. Enquanto isso, Dilma quase perdeu a eleição, o que mostra que foi a principal vítima das jornadas de junho, apoiadas pelos mesmos que apoiaram a derrubada de Palocci em 2011, o que fez Dilma perder o seu primeiro ano com o boliche ministerial.

Em 2014, ano de Copa do Mundo, os grupos de esquerda e ultraesquerda que, aliados até a neonazistas em junho de 2013, ajudaram a desestabilizar Dilma politicamente, voltaram à carga com o movimento “Não Vai Ter Copa”. Eis que o Brasil chega à competição desanimado, prevendo desastre na organização do evento, mas vitória em campo.

Ocorreu o contrário. A organização do evento foi um êxito total, mas, em campo, a Seleção jogou como se estivesse em campo adversário e sofreu uma derrota acachapante. Muitos acreditam – eu entre eles – que o clima político interferiu no psicológico dos jogadores.

A derrota em campo na Copa ofuscou a vitória fora de campo, na organização. Eis que os brasileiros chegam à eleição presidencial mal-humorados contra Dilma, que, por pouco, não foi derrotada, o que só não ocorreu porque aquele que poderia vencê-la é tão ruim que assustou a maioria dos brasileiros com propostas que deixaram claro que promoveria uma grande recessão, com demissões em massa e arrocho salarial.

Esse flashback histórico que você acaba de ler serviu como pano de fundo para a gestão da economia ao longo dos quatro anos que se completarão no próximo dia 1º de janeiro.

A pergunta que se faz, portanto, é sobre como Dilma conseguiu manter o desemprego em queda e os salários em alta diante de uma hecatombe política dessa magnitude. Quantos países resistiriam a uma sabotagem como essa?

Apesar de Dilma ter preservado a qualidade de vida do povo, o crescimento despencou. Porém, não despencou a ponto de virar recessão, como seria natural em uma situação de quase guerra civil que o país vem vivendo desde meados de 2013.

O terrorismo econômico da mídia já dura mais de seis anos inibindo investimentos. Nos primeiros dois anos, não teve sucesso. Mas, a partir do fim de 2012, esse terrorismo conseguiu praticamente paralisar a economia, que só não parou completamente porque Dilma vem tocando programas gigantescos de obras de infraestrutura.

Contudo, cumpre-me vaticinar que os elementos que vêm minando o governo Dilma desde 2011 já começam a produzir os efeitos pretendidos por seus autores. Já são 6 anos de bombardeio econômico e 12 anos de bombardeio político ininterruptos. E, o que é pior, um bombardeio que parte da direita, mas que também parte da esquerda, ou de setores da esquerda.

Os mesmos grupos políticos de esquerda que geraram o boliche ministerial em 2011, que convulsionaram o país em 2013, que transformaram a Copa do Mundo em um desastre político em 2014, agora ensaiam novas ações em 2015 que podem, no limite, custar o mandato de Dilma e a ascensão de um governo que, ironicamente, irá penalizar muito mais os setores da esquerda que tanto têm colaborado com a direita.

Concluo este arrazoado, pois, com um apelo aos setores da esquerda que até podem achar que estão no caminho certo, mas que, em verdade, estão causando um mal terrível ao país: deixem a presidente Dilma respirar. Parem de colaborar com essa direita fascista, racista, que, na verdade, quer acabar com setor da esquerda que tanto a tem ajudado.

Um doce para quem adivinhar do que os sucos de caixinha são feitos

Um doce para quem adivinhar do que os sucos de caixinha são feitos:

Um doce para quem adivinhar do que os sucos de caixinha são feitos

Publicado por  em dezembro 27, 2014 as 12:00 pm
Imprimir





stampa-carioca-suco-de-caixinha-610x300-1


Rita Lisauskas, no Estadão
Eu sempre achei que na caixinha de suco de fruta encontrávamos… fruta. Não era ingênua, sabia que havia açúcar, mas achei que na caixa do suco de uva tinha uva e na de maracujá tinha maracujá e por aí vai. E mesmo dando prioridade as frutas que viram suco no “juicer” que tenho em casa, sempre comprava umas duas caixas para aqueles momentos em que não tinha tempo para descascar, picar a fruta e principalmente lavar o eletrodoméstico (são várias pecinhas pequenas e pentelhas que precisam ser higienizadas com muito cuidado). Achava que minha escolha estava correta.
Quando meu filho começou ir à escola e fazer lancheiras diárias entrou para minha lista de tarefas, continuei priorizando os sucos de fruta naturais. Comprei uma garrafinha térmica e fazia uns suquinhos legais para ele levar à escola. Evitava apenas o de laranja que, mesmo conservado, fica com um gosto ruim depois de algum tempo. Tudo ia bem até o dia em que recebemos um telefonema da escola para nos contar que Samuca tinha derrubado a garrafinha no chão. Com a queda, a parte interna se quebrou em vários pedacinhos espelhados que se misturaram ao suco. E o meu filho bebeu. A escola agiu rápido: examinou e lavou a boca e a língua do meu filho, telefonou para o pediatra e até para o fabricante da garrafinha. Estava tudo bem com ele, mas a partir desse momento a jarrinha térmica deixou de ser uma opção para mim.
Decidi procurar alternativas. Acreditava que o suco de soja era saudável porque na minha cabeça tudo o que era de soja era saudável. Semanas mais tarde me foi pedida uma reportagem sobre os perigos (!?) do suco de soja em excesso para as crianças. Uma menina que tomava copos e mais copos todos os dias começou a entrar na puberdade aos cinco anos: já tinha pelos pubianos e os seios começaram a crescer. Depois que o suco de soja foi riscado de sua dieta os médicos conseguiram impedir que ela menstruasse tão precocemente.
O pediatra que me deu entrevista naquela matéria, o Dr. Marcelo Reibscheid, explicou que os sucos de soja têm fitoestrógenos, um homólogo do hormônio feminino estrógeno. Mas deixou claro que o consumo de uma caixinha por dia é seguro, o problema mesmo é o consumo em demasia. Nas meninas o efeito colateral desse hormônio feminino é a puberdade precoce e nos meninos a infertilidade. Não quis arriscar e tirei o suco de soja da minha lista de compras e da lancheira do Samuca, claro.

Então comecei a pesquisar sobre sucos. Nessa busca por informação descobri que os sucos de caixinha na verdade nem podem ser chamados assim: o nome correto é néctar (e esse nome que aparece na maioria das caixinhas, pode reparar).
Por lei, apenas 20% da composição de cada caixinha de suco tem que ter fruta. Os outros 80% do tal néctar são açúcar e aditivos químicos. Para conseguir a honra de receber o nome “suco” o produto tem que conter 100% de fruta. Existem algumas marcas que realmente vendem suco em caixinha. São mais caras e para chegar a elas você tem que pesquisar, ler rótulos e algumas publicações sobre o assunto. O Idec, Instituto de defesa do consumidor, testou os néctares – essa bebida feita de açúcar, química e quase nenhuma fruta. E descobriu que algumas marcas não respeitam nem o limite mínimo de 20% de fruta que a lei impõe. Clique aqui se quiser ler a pesquisa do Idec e conhecer as marcas reprovadas: http://www.idec.org.br/uploads/revistas_materias/pdfs/16_fruta.pdf
O próprio Idec fez um vídeo sensacional. Um entrevistador oculto pergunta para as crianças do que os sucos de caixinha são feitos. Eles apostam na intuição e na lógica: acham que no suco de fruta tem fruta. São convidadas a ler o rótulo – algo que todos nós temos que fazer, aliás, embora nem todas as informações estejam ali.
Os pequenos vão se assustando e se decepcionando. Os pais também. O vídeo se chama: “Agite-se antes de beber” e termina com algumas perguntas: Por que os fabricantes não usam mais fruta? Por que não informam a quantidade de fruta? Por que a legislação é tão flexível? Pois é, papais e mamães: Agitem-se. E façam algo pela saúde dos seus filhos. Não comprar esses néctares venenosos é uma ótima escolha e também uma forma de pressionar a indústria a fabricar e vender coisas mais saudáveis e menos canalhas. E na dúvida por que não optar pela água mineral?

Comentários

justiça e cidadania andam juntos, vamos correr atraz dos nosso direitos,brasileiros precisam ser respeitados,

As razões da menina veneno | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

As razões da menina veneno | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

Dalla raccolta Filosofia spicciola

Dalla raccolta Filosofia spicciola:



filosofia1


sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

10 piores casos de complexo de messias

10 piores casos de complexo de messias:

Por Kiko Nogueira, no blog Diário do Centro do Mundo:


O fim do ano é o momento em que nos lembramos do messias JC, mas é impossível deixar de lado os malas sem alça que possuem o complexo de messias. O ano de 2014 foi pródigo em megalomaníacos com fórmulas infalíveis para a salvação do Brasil e, em última análise, do universo.



Alguns tentaram nos livrar de uma ditadura comunista, outros ameaçaram seus discípulos se não seguissem seu voto - em comum, todos incapazes de admitir qualquer erro e eternamente tentando encaixar os fatos em sua visão de mundo. O tipo de gente que estraga qualquer festa de réveillon.



Lobão



O velho cantor já vinha há alguns anos num ritmo pesado e intenso de paranoia, trocando Herbert Viana pelo PT em sua doideira. Na sequencia da eleição de Dilma, adotou uma longa barba de profeta, copiada do bispo Edir Macedo, e resolveu incorporar o papel de líder revolucionário. Ficou chateado quando tomou um cano de Aécio numa manifestação com 15 pessoas, rompeu com outros colegas de extrema direita, foi até o Congresso com aloprados. Junto com seu guru Olavo de Carvalho e o brucutu Marcello Reis, do grupo Revoltados Online, alertou os brasileiros sobre o socialismo. Sua grande vitória política foi tomar um café com Marco Feliciano.



Gilmar Mendes



O ministro do STF é o Palpiteiro Oficial da República. Denunciou o perigo do Supremo se converter “numa corte bolivariana”, disse que Lula não passaria no teste do bafômetro, suspeitou de lavagem de dinheiro nas doações para pagar as multas de petistas condenados no mensalão, culpou Dilma pelas suspeitas de fraude nas eleições etc etc. Com exceção, talvez, do futebol, não houve assunto em que Gilmar não tenha emprestado um átimo de sua sabedoria. “Os fatos são chocantes. Há uma cleptocracia instalada”, diz ele. Dependendo do ângulo, Gilmar dá saudade de Joaquim Barbosa.



Joaquim Barbosa



JB saiu da história para cair na vida, mas não deixa o posto de Batman nem sob decreto. Ninguém mais se importa com o menino pobre que mudou o Brasil, mas no Twitter ele continua trovejando. Entre uma saída e outra para ir ao teatro com a atriz Antônia Fontenelle — ninguém é de ferro — , JB dita os rumos da nação, eventualmente em inglês e francês. “The ousting of a congressman by his peers for his involvement in this disgusting scheme. A new check for the Brazilian political system?”, mandou. “Min Público é órgão de contenção do poder político. Existe para controlar-lhe os desvios, investigá-lo, não p assessorá-lo. Du jamais vu!”. “Du jamais vu” é sua releitura pedante do bordão lulista “nunca antes” etc. Dependendo do ângulo, Barbosa dá saudade de Gilmar Mendes.



Silas Malafaia



O pastor mais sem noção da América Latina gritou suas excentricidades ao longo do ano, guiando seu povo contra o PT. Mostrou-se um pé frio. Primeiro apoiou Marina Silva, evangélica como ele. Quando Marina beijou a lona, inclusive por causa de seu apoio, pulou para o barco de Aécio. Quando se trata de Malafaia, tudo assume ares de histeria e convocação divina. Conclamou seus fieis para “tuitaços” que micaram, ameaçou com o fogo do inferno os que votassem em Dilma, mentiu, ofendeu - e perdeu. Malafaia deu voz à estupidez da extrema direita religiosa.



Marina Silva



Ela surgiu do útero da floresta com a promessa da nova política, batendo na polarização PT-PSDB, se vendendo como uma opção nem de esquerda e nem de direita. Sua candidatura tomou um direto no queixo com quatro tuítes de Malafaia, para sucumbir de vez diante de suas próprias contradições. O fanatismo religioso fez com que utilizasse o velho messias (no caso, Jesus Cristo) para justificar seus problemas, como o da falta de clareza. Segundo ela, Jesus “tergiversava”. Devemos a Marina a popularização do termo “desconstrução”, usado por ela para explicar a tática de seus adversários e hoje aplicado até mesmo em receitas de risoto de frango.



Felipão



O ex-técnico da seleção jamais assumiu qualquer erro na condução da seleção brasileira. Jogadores choravam antes de bater o escanteio, mas o time não tinha problema de desequilíbrio emocional. Neymar se machuca, os atletas têm um chilique, mas e daí? Até acontecer o inolvidável 7 a 1 diante da Alemanha e, na partida seguinte da Copa, os 3 a 0 para a Holanda. Na coletiva, a casa já em escombros, Felipão deu declarações como “desde 2002 não chegávamos às semifinais”, “disputei três Copas do Mundo e fiquei entre os quatro em todas”, “não jogamos mal” e “tivemos momentos muito bons”. Felipão foi visto no Grêmio.



O juiz da Lei Seca



Uma agente da Lei Seca dirimiu uma dúvida ancestral: se juízes achavam, mesmo, que eram Deus. Ela cumpriu sua função ao tentar multar o juiz João Carlos de Souza Correa, que dirigia um Land Rover preto sem placa e estava sem a carteira de habilitação no momento da abordagem. (Depois se descobriu que Correa, titular da 1ª Vara de Búzios, é protagonista de uma coleção de imbróglios jurídicos). Mas o doutor Correa não precisa cumprir a lei porque, afinal, está acima de você. “Imagina eu, que faço Justiça, sendo injustiçado. Ela disse: ‘Ele é juiz, não é Deus’. Foi desacato”, afirmou.



Fernão Lara Mesquita e os editoriais do Estadão



Ninguém lê, mas os editoriais do Estadão e os artigos de um dos herdeiros são como uma máquina do tempo em direção ao nada. A missão de resguardar os valores liberais se transforma numa necessidade doentia de orientar seus pobres leitores no sentido de se precaverem diante de qualquer coisa que cheire a bolivarianismo, seja lá o que isso quer dizer. Isso inclui dar conselhos para os EUA sobre como conduzir a reaproximação com Cuba. Fernão Lara Mesquita - fotografado num protesto com um cartaz com os dizeres “Foda-se a Venezuela” - mantém a tradição batendo no inimigo morto da família: Getúlio Vargas. No dia 25 último, escreveu que Getúlio “veio para combater a corrupção, impôs o fascismo como instrumento do desenvolvimento e encarregou o Estado, com o Trabalho e o Capital a reboque, de promovê-lo”.



Edir Macedo



O dono da Universal inaugurou o Templo de Salomão no Brás, em São Paulo, uma atualização brega do santuário arrasado pelos romanos na Antiguidade. Com uma barba de profeta, copiada de Lobão, e um novo cerimonial inspirado em ritos do judaísmo, com direito a quipá e solidéu, Edir levou Dilma, Alckmin e outros políticos à abertura de sua obra máxima, numa prova de seu poder e prestígio terrenos. Edir vive garantindo a volta de Jesus, mas Jesus provavelmente olha para ele e pensa que é melhor ficar de boa onde está.



Arnaldo Jabor



Jabor começou a pirar no ano passado, ao mudar de opinião sobre as manifestações em 48 horas. Perdeu o posto de comentarista no Jornal da Globo, mas continua dando conselhos e advertências importantes no rádio e em jornais. O tom apocalíptico cresceu e hoje tem-se a nítida impressão de que o cineasta está trancado numa quitinete no Leblon, com as persianas permanentemente fechadas e um chimpanzé de estimação chamado Igor para servi-lo. Suas memórias andam cada vez mais estranhas. “Um dia, um companheiro (que morreu há pouco) me disse: ‘Não tema a morte. Marx disse que somos seres sociais. O indivíduo é uma ilusão. Para o comunista a morte não existe’. E eu sonhei com a vida eterna”. A reeleição de Dilma aconteceu apesar de seus alertas. “Tudo vai explodir em 2015, o ano da verdade feia de ver”, disse. “Essas são algumas das doenças mentais que estão levando o Brasil para um pântano institucional. Temos que nos salvar desse determinismo suicida”. Deus é pai.

Dr. Miguel Nicolelis | The Verge 50

Dr. Miguel Nicolelis | The Verge 50

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

10 alimentos que você compra sem saber que é enganado pelo fabricante

10 alimentos que você compra sem saber que é enganado pelo fabricante:

Publicado no Buzzfeed



enhanced-buzz-25682-1403798974-29

1. X-“”picanha”” congelado

A embalagem avisa que o lanche, na real, é “de carne bovina e de carne de frango sabor picanha e queijo processado sabor cheddar congelado”. Kd picanha?/



enhanced-buzz-18774-1403799244-29

2. Muçarela “”de búfala”“

A maioria das marcas admite, em letras menores, na própria embalagem: algumas vêm com até 80% de leite de vaca mesmo, e só 20% de búfala.



enhanced-buzz-29608-1403799074-41

3. Molho “”de mostarda”“

Leia a bula, quer dizer, a embalagem: os ingredientes que aparecem primeiro, segundo o IDEC (Instituto de Defesa do Consumidor), são os que estão presentes em maior quantidade. Portanto, se no potinho estiver escrito “água, vinagre, açúcar, amido e sementes de mostarda”, você já sabe.



enhanced-buzz-3038-1403799159-12

4. Linguiça “”tipo calabresa”“

Não se engane com o truque linguístico: a embalagem lista “carne suína, carne mecanicamente separada de aves (…), proteína de soja”. DE AVES, ou seja, não é nem só de frango. Quanto mais só de porco.



enhanced-buzz-8659-1403799321-38

5. “”Leite”” com chocolate

De novo, atenção na embalagem: se diz “bebida láctea”, continue lendo. Provavelmente será uma mistura de soro de leite com leite em formas variadas, como reconstituído ou em pó.

6. “”Mel”“

Nos supermercados, mel de verdade, alimentos à base de glicose (muito processados e cheios de açúcar) e melado de cana são vizinhos de prateleira.



enhanced-buzz-8611-1403799501-26

7. “”Azeite”“

Não se deixe levar pelas imagens de oliveiras: lendo a embalagem, pode ser que você esteja diante de um óleo composto de soja e oliva (sendo que a soja, claro, leva a melhor, compondo até 80% do conteúdo).



enhanced-buzz-2553-1403799570-28

8. “”Cerveja”“

Segundo a lei alemã de pureza, cervejas devem ser feitas apenas com água, cevada e lúpulo. Segundo instrução do Ministério da Agricultura, outros ingredientes podem ser usados, desde que não passem de 45%. A maioria das cervejas brasileiras, que trazem na embalagem o uso de “cereais não maltados”, são feitas com até 50% de milho.



enhanced-buzz-19037-1403799616-42

9. “”Iogurte”“

Se o rótulo traz bebida láctea fermentada, então não é iogurte. É quase. Como o “”leite com chocolate”“, bebidas lácteas levam soro de leite.



enhanced-16907-1403800180-1

10. “”Requeijão”“

O que deveria ser feito apenas com derivados de leite às vezes vem com derivados vegetais, como amido, descritos em letras bem pequenas na embalagem.


Viúva de Campos vai receber R$ 16,8 mil mensais e cada filho R$ 3,3 mil pagos pela Câmara « Poços10 – Poder e Política

Viúva de Campos vai receber R$ 16,8 mil mensais e cada filho R$ 3,3 mil pagos pela Câmara « Poços10 – Poder e Política

O indulto de Genoíno e Joaquim Barbosa, o herói inusitado

O indulto de Genoíno e Joaquim Barbosa, o herói inusitado:



santo indulto




Não sou petista, nem admirador de Genoíno, de quem já fiz inúmeras críticas, nem de nenhum mensalista condenado.

Estranho que alguns acusados ficaram livres pelo empate, porque faltou o voto da deusa Minerva e, principalmente, da deusa Themis. E livres os mensalistas tucanos de Minas Gerais.

Mas pensando bem, quem prestou mais serviços ao Brasil: Genoíno ou Joaquim Barbosa, ministro Torquemada?

Você vai responder que Joaquim, porque prendeu Genoíno. Quer dizer que Joaquim fez apenas isso. Uma afirmativa que indica que Joaquim realizou uma coisa surpreendente. Um feito extraordinário.

É a mais grave acusação contra o Superior Tribunal de Justiça, acriminado de nunca ter condenado nenhum bandido de colarinho (de) branco.

E por falar em rico, quem é mais: Genoíno ou Joaquim?

“Informa o jornal A Tarde, de maneira cavilosa: “Edição extra do Diário Oficial da União publicada nesta quarta-feira, 24, traz um decreto assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff, que concede indulto natalino a presos que obedecem critérios relativos a tempo de pena e comportamento.

A defesa do ex-deputado e ex-presidente do PT José Genoino deve estudar o decreto nos próximos dias para pedir que o benefício seja aplicado ao condenado no julgamento do mensalão”.

O jornal A Tarde insinua que Dilma Rousseff assinou o indulto natalino para beneficiar, exclusivamente, Genoíno.

In Wikipédia: “O indulto é um ato de clemência do Poder Público. É uma forma de extinguir o cumprimento de uma condenação imposta ao sentenciado desde que se enquadre nos requisitos pré-estabelecidos no decreto de indulto. Os decretos de indulto costumam ser publicados em dias particulares. Em Portugal e no Brasil, os indultos concedidos pelo Presidente costumam acontecer na comemoração do Natal. Em Angola, indultos foram concedidos no Dia da Paz e da Reconciliação Nacional1 (4 de abril). Na França, indultos coletivos para crimes menores costumavam ser concedidos no dia da Fête Nationale (Festa Nacional, 14 de julho), até a reforma constitucional de 2008 que limitou o indulto presidencial a casos individuais”.

No Brasil, as regras para concessão do benefício são definidas pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária.

Podem ser beneficiados, por exemplo, presos em regime aberto ou domiciliar, desde que faltem oito anos ou menos para terminar a pena e eles tenham cumprido, no mínimo, um terço da punição. Presos com doenças graves comprovadas por atestado médico também são potenciais beneficiários.

A concessão do indulto não é automática. A defesa do condenado precisa fazer um pedido à Justiça, mostrando que cumpre os critérios fixados pelo decreto. A partir daí, cabe ao Judiciário decidir se concede ou não o benefício.

Em verdade quem, de repente, passou a ser contra a tradição do indulto, defende a Lei da Anistia para os que praticaram crimes hediondos como sequestro, tortura, assassinatos políticos em 21 anos de ditadura militar.



lei anistia indignados


A anistia, “esquecimento”, é o ato pelo qual o poder público (poder legislativo, mais especificamente) declara impuníveis, por motivo de utilidade social, todos quantos, até certo dia, perpetraram determinados delitos, em geral políticos, seja fazendo cessar as diligências persecutórias, seja tornando nulas e de nenhum efeito as condenações. Enquanto a graça ou indulto, concedido pelo chefe de Estado, suprime a execução da pena, sem suprimir os efeitos da condenação, a anistia anula a punição e o fato que a causa.



3


Douce Nuit - Noël Nouvelet - Chant Joyeux de Noël - Petits Chanteurs de Sainte-Croix de Neuilly - YouTube

Douce Nuit - Noël Nouvelet - Chant Joyeux de Noël - Petits Chanteurs de Sainte-Croix de Neuilly - YouTube

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

PARIS IMAGES: THE POINT OF LIFE

PARIS IMAGES: THE POINT OF LIFE:

A walk about Paris will provide lessons in history, beauty, and in the point of Life. -Thomas Jefferson



louvre 185
louvre 161
louvre 163
louvre 164
louvre 177
louvre 178
louvre 159
louvre 179
louvre 181
louvre 182
louvre 176
24dec14. Paris, France.

Temores de la economía global: Los bancos centrales no pueden salvar al planeta

Temores de la economía global: Los bancos centrales no pueden salvar al planeta:

Preview
Algunos caracterizan a los que están al frente de los bancos centrales como personas todopoderosas forjadoras del destino económico de un país, pero en realidad tienen pocos instrumentos políticos y a menudo se encuentran acorralados en circunstancias indeseadas, sostienen destacados estrategas económicos.


Original enclosures:
549b279572139ed32c8b45db.jpg

Un vin peut-il sentir le sapin ?

Un vin peut-il sentir le sapin ?: Quel que soit le sens que vous avez donné à cette question - qu'il ait des arômes d'épicéa, que sa fin soit proche... - , il faut répondre par l'affirmative.

Original enclosures:


Diário do Centro do Mundo » Graça: Venina ganhava 167 mil reais por mês em Cingapura

Diário do Centro do Mundo » Graça: Venina ganhava 167 mil reais por mês em Cingapura

Quem é Venina, a heroína do Fintástico | Conversa Afiada

Quem é Venina, a heroína do Fintástico | Conversa Afiada

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Enquanto muita gente corre delas, um dos homens mais ricos do mundo multiplica sua compra de ações da Petrobras | Brasil 24/7

Enquanto muita gente corre delas, um dos homens mais ricos do mundo multiplica sua compra de ações da Petrobras | Brasil 24/7

Alexis Diaz "The Cage" Limited Edition Screen Print - Available December 30th

Alexis Diaz "The Cage" Limited Edition Screen Print - Available December 30th:





Over the past several years, Puerto Rican-born street artist Alexis Diaz has built an international presence, with giant murals covering everywhere from the side of a crumbling building in Bratislava, Slovakia to a makeshift billboard in the middle of the Arizona desert. He is known for his chimerical and dreamlike depictions of animals in a state of metamorphosis.



Alexis Diaz returns with us for his third limited edition screen-print which is based on his latest East London wall. As we are accustomed to with Alexis, "The Cage" features an insane amount of detail which is sure to leave you in awe of his skill and patience!



"The Cage" is an edition of 75, it measures 60 x 80cm, five layer hand-pulled screen-print on super fancy cream paper and it comes signed and numbered by the Puerto Rican superstar.



"The Cage" will be available exclusively at the StreetArtNews' store on Tuesday, December 30th at 5PM UK for £175 each.


(Timezone Conversions: New York 12PM - Los Angeles 9AM - Tokyo 2AM)




Read The Full Story »


Graça Foster fica, afirma Dilma a jornalistas

Graça Foster fica, afirma Dilma a jornalistas

▶ Dorival Caymmi - A Vizinha do Lado - YouTube

▶ Dorival Caymmi - A Vizinha do Lado - YouTube

“Choro” de Venina no Fantástico é igual a suas “denúncias” | Blog da Cidadania

“Choro” de Venina no Fantástico é igual a suas “denúncias” | Blog da Cidadania

Irmã do rei da Espanha vai sentar no banco dos réus | Internacional | DW.DE | 22.12.2014

Irmã do rei da Espanha vai sentar no banco dos réus | Internacional | DW.DE | 22.12.2014

Inadimplência no Brasil recua a 4,9% em novembro, diz BC - noticias - UOL Economia

Inadimplência no Brasil recua a 4,9% em novembro, diz BC - noticias - UOL Economia

Opera Mundi - ‘Estava na cadeira do dragão quando o torturador se masturbou e jogou esperma em mim’, relata ex-presa política da ditadura

Opera Mundi - ‘Estava na cadeira do dragão quando o torturador se masturbou e jogou esperma em mim’, relata ex-presa política da ditadura

Dilma: não há crise de corrupção no Brasil com a Petrobras - Terra Brasil

Dilma: não há crise de corrupção no Brasil com a Petrobras - Terra Brasil

39% dos brasileiros acham paulistanos “egoístas” | Brasil 24/7

39% dos brasileiros acham paulistanos “egoístas” | Brasil 24/7

A Santinha da Globo

A Santinha da Globo:



A beatificação de Venina tem precedentes na história religiosa. Santo Agostinho trilhou os mesmos atalhos da nova heroína da Globo. Também ela, como o Bispo de Hipona, perpetra suas confissões. Descoberto seu “pecado original” no casal Adão e Eva da Petrobrás, Paulo Roberto Costa e Graça Foster, Venina vai fazer sua purgação em público. A casa santa escolhida para receber a bênção e o perdão foi o prostíbulo da Globo. A conversão de vários personagens desta história, ou reconversão como o é aquela do eterno colaborador da Justiça e do PSDB, Alberto Youssef. Tanto que sua profissão de conversor se confunde com a de delator. Não me espantaria se, pelas reincidências, pedisse vínculo empregatício pelos “serviços prestados”.

A vida imita a arte. A informação trazida pelo Tijolaço traz-me à lembrança o grande poeta português, Fernando Pessoa:

Tenho tanto sentimento
Que é freqüente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.


Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.


Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.







A heroína do Fantástico e a Venina do Linkedin…Duas vidas diferentes?

22 de dezembro de 2014 | 09:07 Autor: Fernando Brito



venina1a


Depois de aceitar que Paulo Roberto Costa passou ao menos três anos roubando “enojado” e “enojado” continuava recebendo parcelas de propinas por contratos mesmo depois de ter sido afastado da empresa, agora temos a história mais que capciosa de D. Venina Fonseca, a quem não posso, por desconhecimento – a Petrobras não abriu os detalhes dos processos interno que correm contra ela, embora ela tenha ido ao Fantástico acusar a presidente da empresa de cúmplice de todos os malfeitos da empresa.

Mas posso, como qualquer jornalista deveria fazer, comparar o que ela disse na televisão com o que é, segundo ela própria, sua carreira na empresa.

Segundo a transcrição da entrevista feita pelo Diário do Centro do Mundo, ela diz que “eu trabalhei junto com Paulo Roberto, isso eu não posso negar. Na diretoria de abastecimento, a partir de 2005″.

Não é verdade, segundo a própria Venina informa em seu currículo no Linkedin.

Lá, consta que ela era – o texto eu cito em inglês, como está escrito – “Manager, Implementation of Integrated Management Systems at Natural Gas Logistics Supervision Centre. De “May 2002 – May 2004 (2 years 1 month)“.

Ora, de 2001 a 2003, Paulo Roberto Costa era responsável pela Gerência Geral de Logística da Unidade de Negócios Gás Natural da Petrobras…

Depois, segundo a própria Venina, em  seu Linkedin, foi ser “Assistant Manager to the Downstream Director’s Office” (diretor de abastecimento), em maio de  2004.

Paulo Roberto Costa assumiu a diretoria de abastecimento em…14 de maio de 2004.

Não seria justo inferir ligações anteriores, mas é a própria Venina quem documenta que não foi “na diretoria de Abastecimento, a partir de 2005″, mas durante ao menos sete anos era auxiliar de confiança de Paulo Roberto Costa.

Mais adiante, Venina diz:

“A opção que eles fizeram em 2009 foi realimente me mandar para o lugar mais longe possível, isso está entre aspas, onde eu tivesse o menor contato possível. Com a empresa, aparentemente eu estaria ganhando um prêmio indo para Cingapura, mas o que aconteceu foi que realmente quando eu cheguei lá me foi dito que eu não poderia trabalhar, que eu não poderia ter contato com o negócio, era para eu procurar um curso”.

De fato, Venina foi para Cingapura, como “Chief Executive Officer, PM Bio Trading Pte Ltd”, uma joint-venture entre a Petrobras, a Mitsui e a empreiteira Camargo Correia, empresa subordinada a….Paulo Roberto Costa, o diretor de Abastecimento enojado …

Quando PRC cai, Venina não é perseguida, mas promovida.

Passa a diretora-gerente (“Managing Director, Petrobras Singapore Private Limited”).

E, segundo ela própria, com amplos poderes pois assim ela define suas funções, desde então:

“Responsável por conduzir o aumento das receitas junto com as margens de lucro e ser responsável por todos os contratos, a evolução dos negócios, as principais partes interessadas e clientes. – Reestruturação de toda a unidade, que resultou em significativa redução de custos e aumentando o lucro líquido três vezes nos primeiros seis meses de nomeação. – Liderou s Petrobras Singapore (PSPL) para atingir um lucro líquido recorde de US 59,5 milhões  em 2012 de US $ 18 milhões em 2011, e, posteriormente, outro avanço no lucro líquido, de US $ 184 milhões em 2013″

Nada de ficar “encostada”, portanto. E muito menos de viver trancada, numa situação de quase “escrava branca”, algo que justificasse a melodramática declaração ao Fantástico de que ” me afastar(am) do meu país, das empresas que eu tanto gostava, dos meus colegas de trabalho. Eu fui para Cingapura, eu não vi minha mãe adoecendo. Minha mãe ficou cega, transplante de coração, eu não pude acompanhar minha mãe. Meu marido não pôde mais trabalhar, ele teve que retornar.”

O marido de Venina, Mauricio Luz, também segundo o seu Linkedin, “had been lived in Singapore from january 2010 to june 2012, working as a consultant and helping to implement the Braskem office in Singapore“.

A Braskem é uma empresa que tem, entre os principais acionistas …a Petrobras, com 47% e a Odebrecht, com 50%.

A saída de Luz, também casualmente, coincide com a queda de Paulo Roberto Costa.

Não se faz aqui, como se viu, nenhuma acusação a Venina, porque seria um absurdo acusar, como ela faz, alguém de irregularidades e cumplicidadessem ter provas cabais disto.

Mas não é possível afasta-la de todo este caso. Ela estava dentro dos esquemas de Paulo Roberto ou, pelo menos, aceitou-os.

O Brasil está mesmo virando uma fábrica de “santinhos”
A heroína do Fantástico e a Venina do Linkedin…Duas vidas diferentes? | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

o imperativo da felicidade

o imperativo da felicidade:



"Seja feliz, que sua felicidade seja uma rotina diária, não demostre tristeza, não publique coisas tristes nas redes, só mostre seu melhor lado, sua melhor imagem" Essas são coisas que estão sub-ditas, e que imperceptivelmente obedecemos, ou tentamos perseguir diariamente.



Ler o artigo completo


Faustão e Fantástico. Domingo dos desesperados | Conversa Afiada

Faustão e Fantástico. Domingo dos desesperados | Conversa Afiada

Monday, December 22nd | music clip of the day

Monday, December 22nd | music clip of the day

Aécio sobre impeachment: não há elementos | Brasil 24/7 - Linkis.com

Aécio sobre impeachment: não há elementos | Brasil 24/7 - Linkis.com

Children are cleaning up a devastating oil spill in Bangladesh—with their bare hands - Quartz

Children are cleaning up a devastating oil spill in Bangladesh—with their bare hands - Quartz

A origem do apelido de "Almirante" | GGN

A origem do apelido de "Almirante" | GGN

Le belle stagioni di Franz Krauspenhaar su Nazione Indiana | poesiaoggi

Le belle stagioni di Franz Krauspenhaar su Nazione Indiana | poesiaoggi

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

A aprovação da Emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias é uma vitória contra o golpismo

A aprovação da Emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias é uma vitória contra o golpismo:



Ex-guerrilheira branca de extrema direita dá uma forte costada no segurança negro do Poder Legislativo.


Ex-guerrilheira branca  e de extrema direita age com truculência e dá uma forte costada e torce o pulso do segurança negro do Poder Legislativo.
Inúmeros e violentos foram os protestos oferecidos pela elite branca frente à aprovação do PLN n° 36/2014, o qual visa tão somente estabelecer pequenas mudanças orçamentárias no já defasado modelo brasileiro de culpabilização fiscal. Vários representantes da extrema direita golpista compareceram ao Congresso Nacional — que é a Casa do Povo, e não da elite, cumpre ressaltar — na tentativa de impedir a livre manifestação da vontade popular. Dentre os despóticos “manifestantes”, estavam ninguém menos que o roqueiro Lobão e uma conhecida senhora militarista ligada a movimentos de extrema direita, todos bradando palavras de ordem e clamando pela intervenção golpista armada.
Sinal de que o PT está no caminho certo.

A razão desse levante elitista contra PLN n° 36/2014 é muito simples. Livre das amarras neoliberais impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, criada pelo governo tucano de FHC, o governo Dilma poderá investir mais em projetos sociais, os propulsores da igualdade de classes que tanto incomoda os defensores dos interesses burgo-financeiros, ameaçando sua hegemonia.


Desafio? Encontre um único negro na manifestação elitista movida pelo ódio ao PT.


Desafio? Encontre um único negro na manifestação elitista movida pelo ódio ao PT.
Sem a opressora espada da culpabilização fiscal sob a cabeça, o governo federal poderá deixar de lado preocupações neoliberais como atingimento de superavit primário e secundário, para enfim se preocupar com o que realmente importa: os anseios populares e a distribuição mais igualitária da renda.
Apenas em nome da governabilidade e da garantia de afastar as tentativas de golpe por parte dos parlamentares, a Presidenta Dilma, em toda a sua generosidade, ofereceu alguns pequenos incentivos caso a proposta de emenda seja acatada pelo Congresso. Tal prática politica usual foi o que bastou para o tucanato, que ainda não aceitou a retumbante derrota sofrida nas urnas em outubro, iniciasse uma guerra partidária pautada por um nítido discurso de ódio irracional ao PT.


Em cheio, Laffutt !!!!!!!


Em cheio, Laffutt !!!!!!!
Não obstante os protestos de Lobão e da direita golpista, ao povo de verdade, que importam superavits e atingimento de metas financeiras?  De que vale a manutenção de meros balanços fiscais quando estamos cada vez próximos do pleno bem-estar social?
Deixemos a mulher trabalhar. E a soberania da vontade do verdadeiro povo prevalecer.
O post A aprovação da Emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias é uma vitória contra o golpismo apareceu primeiro em Zambininha.

13 котов, которые пытались что-то украсть

13 котов, которые пытались что-то украсть: Как известно, коты — большие воришки: вот они увиваются возле тебя и ласково мурлычут, но стоит отвернуться, и они уже совершают ограбление века.























































источник



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Reuters: Top News

Reuters: World News

Reuters: Arts

Reuters: Sports News

Reuters: People News

Reuters: Entertainment News

Reuters: Technology News

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SEGUIDORES NO GOOGLE +

Testez la vitesse de votre connexion Internet ADSL, câble ou FTTx