Pesquisar este blog

ABOUT.ME

quarta-feira, 13 de maio de 2015

FGV: inflação cai pela metade

FGV: inflação cai pela metade:

Sinceramente, uma boa parte da função da imprensa morreu.

Afinal, a troco de quê perder meu tempo ouvindo Miriam Leitão ou Sardenberg falando sobre a inflação, se eu posso ir à página da Fundação Getúlio Vargas e acessar a notícia diretamente, sem a intermediação apocalíptica da Globo?

Não preciso sequer ler o jornais, por exemplo, para saber que os jornais omitiram uma informação essencial divulgada há menos de 48 horas: a inflação caiu pela metade.

O IGP-M – o índice da FGV que mede a inflação – para os primeiros dez dias de maio ficou em 0,51%, metade do registrado em igual período do mês anterior, quando ficou em 1,03%.

É uma notícia boa sem nenhum porém, mas, todavia, etc.

É boa e pronto.

Uma notícia que estimula os tecnocratas frios do Banco Central a darem um tempo em sua insana obsessão de reduzir o estoque de ovos através do extermínio das galinhas.

Quem sabe se o pior já não passou e reentramos num processo de crescimento?

*

Na página da Fundação Getúlio Vargas.

IGP-M recua na primeira prévia de maio

11-Mai-2015

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou variação de 0,51%, na apuração referente ao primeiro decêndio de maio. No mesmo período de apuração do mês anterior, a variação foi de 1,03%. A apuração referente ao primeiro decêndio do IGP-M de maio compreendeu o intervalo entre os dias 21 e 30 do mês de abril.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 0,56%, no primeiro decêndio de maio. No mesmo período do mês de abril, o índice variou 1,28%. A taxa de variação do índice referente a Bens Finais passou de 0,80% para 0,90%. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 1,70% para 2,28%. O índice correspondente aos Bens Intermediários variou 1,05%, ante 1,48%, no mês anterior. A principal contribuição para este recuo partiu do subgrupo suprimentos, que passou de 5,14% para -0,08%.

O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de -0,50%. No mês anterior, a taxa foi de 1,61%. Entre os itens com taxas em trajetória decrescente, destacam-se: soja (em grão) (4,43% para -4,05%), milho (em grão) (1,00% para -5,21%) e café (em grão) (4,40% para -1,69%). Em sentido oposto, vale mencionar: leite in natura (1,17% para 4,37%), minério de ferro (1,93% para 3,67%) e minério de cobre (4,55% para 15,86%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou taxa de variação de 0,47%, no primeiro decêndio de maio. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,53%. Três das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Habitação (1,39% para 0,43%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 6,46% para 0,79%.

Também apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Alimentação (0,32% para 0,10%) e Despesas Diversas (0,44% para 0,42%). Os itens que mais contribuíram para estes movimentos foram: frutas (1,78% para -5,10%) e serviço religioso e funerário (1,29% para 0,83%), respectivamente.

Em contrapartida, apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos:

– Vestuário (-0,65% para 1,31%);

– Educação, Leitura e Recreação (-0,46% para 0,33%);

– Saúde e Cuidados Pessoais (1,07% para 1,62%);

– Transportes (0,19% para 0,22%); e

– Comunicação (-0,02% para 0,08%).

Nestas classes de despesa, destacam-se os itens: roupas (-0,44% para 1,82%), passagem aérea (-20,03% para -7,57%), medicamentos em geral (1,31% para 4,37%), tarifa de ônibus urbano (-0,33% para 0,58%) e pacotes de telefonia fixa e internet (0,34% para 0,69%), respectivamente.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, no primeiro decêndio de maio, taxa de variação de 0,27%, abaixo do resultado do mês anterior, de 0,69%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,55%. No mês anterior, a taxa foi de 0,92%. O índice que representa o custo da Mão de Obra apresentou taxa de variação de 0,02%, em maio. No mês anterior, este índice variou 0,48%.

IGP-M recua na primeira prévia de maio

11-Mai-2015 | |

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) registrou variação de 0,51%, na apuração referente ao primeiro decêndio de maio. No mesmo período de apuração do mês anterior, a variação foi de 1,03%. A apuração referente ao primeiro decêndio do IGP-M de maio compreendeu o intervalo entre os dias 21 e 30 do mês de abril.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 0,56%, no primeiro decêndio de maio. No mesmo período do mês de abril, o índice variou 1,28%. A taxa de variação do índice referente a Bens Finais passou de 0,80% para 0,90%. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 1,70% para 2,28%. O índice correspondente aos Bens Intermediários variou 1,05%, ante 1,48%, no mês anterior. A principal contribuição para este recuo partiu do subgrupo suprimentos, que passou de 5,14% para -0,08%.

O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de -0,50%. No mês anterior, a taxa foi de 1,61%. Entre os itens com taxas em trajetória decrescente, destacam-se: soja (em grão) (4,43% para -4,05%), milho (em grão) (1,00% para -5,21%) e café (em grão) (4,40% para -1,69%). Em sentido oposto, vale mencionar: leite in natura (1,17% para 4,37%), minério de ferro (1,93% para 3,67%) e minério de cobre (4,55% para 15,86%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou taxa de variação de 0,47%, no primeiro decêndio de maio. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,53%. Três das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Habitação (1,39% para 0,43%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 6,46% para 0,79%.

Também apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Alimentação (0,32% para 0,10%) e Despesas Diversas (0,44% para 0,42%). Os itens que mais contribuíram para estes movimentos foram: frutas (1,78% para -5,10%) e serviço religioso e funerário (1,29% para 0,83%), respectivamente.

Em contrapartida, apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos:

– Vestuário (-0,65% para 1,31%);

– Educação, Leitura e Recreação (-0,46% para 0,33%);

– Saúde e Cuidados Pessoais (1,07% para 1,62%);

– Transportes (0,19% para 0,22%); e

– Comunicação (-0,02% para 0,08%).

Nestas classes de despesa, destacam-se os itens: roupas (-0,44% para 1,82%), passagem aérea (-20,03% para -7,57%), medicamentos em geral (1,31% para 4,37%), tarifa de ônibus urbano (-0,33% para 0,58%) e pacotes de telefonia fixa e internet (0,34% para 0,69%), respectivamente.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, no primeiro decêndio de maio, taxa de variação de 0,27%, abaixo do resultado do mês anterior, de 0,69%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,55%. No mês anterior, a taxa foi de 0,92%. O índice que representa o custo da Mão de Obra apresentou taxa de variação de 0,02%, em maio. No mês anterior, este índice variou 0,48%.

Clique aqui para baixar o press release completo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Reuters: Top News

Reuters: World News

Reuters: Arts

Reuters: Sports News

Reuters: People News

Reuters: Entertainment News

Reuters: Technology News

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SEGUIDORES NO GOOGLE +

Testez la vitesse de votre connexion Internet ADSL, câble ou FTTx